sábado, 23 de abril de 2011

Museu João Pedro Nunes

*O Museu João Pedro Nunes é dono de um dos maiores acervos particulares da América Latina. Se ainda estivesse em atividade, seria um dos mais antigos do Rio Grande do Sul. O Museu foi criado em 1901 por João Pedro Nunes, que nasceu em São Borja a 27 de junho de 1883, na mesma casa que nasceria mais tarde Getúlio Vargas.

Era filho do coronel Genuíno Cezário Nunes e de dona Florisbela Rodrigues Nunes. Com apenas seis anos perdeu o pai. Um ano depois, em 1890, mudou-se com a família para São Gabriel, onde tempos depois estabeleceu-se com comércio.

Desde criança Nunes tinha o hábito de colecionar antigüidades. João Pedro Nunes começou o museu numa época de grandes transformações históricas, o que facilitou a aquisição de materiais de grande valia. É um dos poucos museus do Brasil que tem todas as peças doadas.

Devido as relações de amizade com pessoas ilustres da História, como o Comandante da Força Expedicionária Brasileira (FEB), Marechal João Batista Mascarenhas de Moraes, General Ptolomeu de Assis Brasil e Honório Lemes, recebeu doações de grande valor.

João Pedro Nunes faleceu em 1968, ficando o museu aos cuidados de Isabel Nunes Paulo. Posteriormente em 1978, o bisneto assumiu os cuidados para com o acervo. Estudioso de História Paulo Teixeira participou de vários seminários e cursos de história, além de outros ligados ao próprio museu. Entre estes cabe destacar o Curso de Conservação de acervos com o especialista em conservações que trabalhou na conservação das múmias do Egito.

Atualmente parte do acervo do Museu está colocado junto ao prédio do Museu Gaúcho da FEB. O Museu já tem um novo e definitivo local assegurado. Deverá ser transferido para a Igreja de Nossa Senhora do Rosário do Bom Fim, conhecida como "Igreja do Galo", que está em fase final de restauração.

Em 1953 o Museu João Pedro Nunes possuía um grande e rico acervo histórico e cultural, conforme foi publicado no boletim “Aspectos Gerais de São Gabriel”, de Fortunato Pimentel. Destacavam-se 116 medalhas históricas, entre elas algumas que remontavam aos tempos da Guerra do Paraguai, como as conferidas ao marechal Mallet, marechal João José da Luz, coronel Claudino Nunes Pereira e almirante Luiz Felipe da Gama, entre outras.

Havia também 15 estribos, entre eles o de Guia Lopes; 12 facas e punhais, com destaque para o facão de Plácido de Castro e a faca de marfim de Propicio Menna Barreto; 12 bandas, entre elas a que pertenceu ao coronel Hermenegildo Laureano da Silva; fardamentos usados em 1829, tipo com 18 botões chapeados a ouro, e que pertenciam ao capitão Francisco Xavier Montello, do 3º RC, da 1ª Divisão do Exército do imperador Dom Pedro I; 34 espadas, destacando-se a espada dourada rabo de galo, usada nas campanhas napoleônicas e uma espada de ferro, identificada no Rio de Janeiro como anterior ao ano de 1.500.

Ainda 38 bandeiras, sobressaindo-se a bandeira vermelha “Deus, Pátria e Liberdade”, que foi conduzida pelas forças de Saldanha da Gama no combate de Campo Osório, no dia 24 de junho de 1895; 18 quepes; 14 esporas, com destaque para as usadas na campanha farroupilha; objetos de Silveira Martins, Borges de Medeiros, Júlio de Castilhos, Plácido de Castro, José Garibaldi e general Propicio Menna Barreto; uma toalha de tecido “inhanduti”, que pertenceu a célebre madame Elisa Lynch, uma irlandesa que se tornou amante do ditador do Paraguai, Solano Lopes; objetos de Fernando Abbott, Pinheiro Machado e Honório Lemos.

Destaque especial para os binóculos de Adão La Torre; guampas de chifre, trabalho notável em alto relevo que pertenceu ao coronel José Serafim de Castilho, o “Juca Tigre”, objetos do general Osório e uma coleção de dezenas de espadas, que pertenceram a importantes vultos de nossa história.

O Museu João Pedro Nunes funcionava neste prédio, quando fechou as portas. (Foto: Magro Borin)

Vista interna do Museu. (Foto: Magro Borin)

Vista interna do Museu. (Foto: Magro Borin)

4 comentários:

  1. Olá, vi aqui neste museu medalhas históricas em homenagem ao meu bisavô materno, o General João José da Luz (Guerra do Paraguai). Gostaria de contato c vocês, obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem problema. Meu e-mail: nilodt@hotmail.com
      Meu telefone: 61-34831739

      Excluir
    2. Olá, saberia dizer-me qual a descendência do meu bisavô, o Marechal João José da Luz, pois tinhamos o livro contendo nossa árvore genealogica, mas foi extraviado! Meu e-mail é poemadivino@hotmail.com Atenciosamente, Shirley.

      Excluir
  2. OI tudo bem? Gostaria de entrar em contato,sou trineta,ou tataraneta de coronel Genuíno Cezário Nunes e de dona Florisbela Rodrigues Nunes. Gostaria imensamente se possível,informar,onde nasceram o Genuíno e a Flrisbela,ou melhor ainda,o nome dos pais dos dois,ou fotos.Será possível? Agradeço imensamente.Veronica Carretta Nunes

    ResponderExcluir