quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Uma confissão de amor

*Olá, amigos gabrielenses. Meu nome é Candido Otto da Luz. Saí de São Gabriel em 1967 para estudar em Santa Maria, onde me formei em jornalismo. Hoje, aos 57 anos, trabalho na Coordenadoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Em São Gabriel, meu último endereço foi no antigo "Beco do Graxaim". Alguém já ouviu falar? O nome da rua era Germano Lobatto, mas pouca gente sabia. "Graxaim" era um senhor negro, motorista de táxi, figura conhecidísima na cidade. O beco acabou levando seu nome, pois a casa onde morava era um ponto de referência.

Hoje não é mais beco. Abriram faz tempo o final da rua. Lá eu passei momentos maravilhosos da minha infância. Fazíamos teatro, colecionávamos revistas da EBAL, fumávamos escondidos e jogávamos bola na pracinha onde ficava a antiga Liga Atlética Gabrielense (LAG). Hoje, parece que construíram um ginásio. Essa pracinha recebia parques, teatros mambembes, circos, etc.

Iniciei meu gosto pela leitura graças ao saudoso professor Wanderley Machado, pai do Virgulino, da Sandra e do Toninho. Devorei a biblioteca dele. Comecei por Lobatto e o "Sítio do Pica-Pau Amarelo" e depois passei para o Érico Veríssimo.

Tive uma namoradinha, mas ela nunca soube disso. O nome dela é Arlene e hoje não sei por onde anda. Linda com um blusão azul e saia plissê branca, com meias brancas até os joelhos. Vivia na casa da vó dela que ficava em frente da nossa.

Matinês nos cinemas Vitória e Harmonia (ainda existem?) Troca de revistas antes e depois das sessões. Seriados do "Zorro". Filmes do "Tarzan" com Johnny Weismuller, Alex Baxter, entre outros. Futebol no Estádio Dr. Silvio de Faria Corrêa. Meu pai foi presidente da Liga Atlética Gabrielense (LAG)). Saudades da "Vó Negra", esses dias sonhei com ela, do seu Geremita, da dona Gabriela, que fazia umas rosquinhas maravilhosas e de tarde saia vendendo pelo beco, dos irmãos Edílson e Edmílson, do Virgulino, do Renato, filho do Geremita.

Minha última ida a São Gabriel foi rápida, em 1996. Fui buscar o corpo do meu pai para ser enterrado em Santa Maria. Saudades do Ginásio Marista. Irmão Atílio Ortigara, Irmão Aquilino, Irmão João "Sem Pescoço".

Antes de morrer quero retornar a minha terra e visitar com calma todos esses lugares e matar as saudades. Brasil Tênis Clube e sua piscina, onde aprendi a nadar sozinho. Rádio São Gabriel e o programa "Meu Grito", que tinha domingo pela manhã com patrocínio da Casa Azul. Foi lá que eu cantei "Meu Grito", sucesso de Agnaldo Timóteo. Voz e piano. Saudades! (Fonte: Página da "Confraria dos Amigos de São Gabriel, no Facebook)

Cândido Otto da Luz e familiares.

O Beco do Graxaim

*O historiador Osório Santana Figueiredo em seu livro "Apelidos Urbanos de São Gabriel", escreveu o seguinte sobre o "Beco do Graxaim", hoje Travessa Germano Lobato:

Existiu ate poucos anos na Rua General Marques no meio da quadra da Igreja Sao Jose, um beco tortuoso, chamado "Beco do Graxaim", apelido afetivo que distinguia um velho chofer de praça, ali residente de longa data, seu Joao Rodrigues, o popular "Joao Graxain", ou simplesmente "Graxain".

Era uma pessoa prestativa e boa, simpatica e risonha, de um grande coraçao de bondade, que se fez credor de um vasto circulo de amizades. Chofer de automoveis desde 1924, quando na praça da Matriz nao chegava a 12 carros de alugueis.

Contava ele com graça, que seu cognome muito o ajudou na profissao. Quando nas horas de trem de passageiro na estaçao, inumeros passageiros perguntavam pelo motorista que tinha o nome de bicho. Foi dai que dresceu sua popularidade. Nos anos de 1960 deixou a profissao, envelhecido e doente. Faleceu em 15 de março de 1977.

Tempos depois foi aberto tornando-se rua ligando-se a rua jonathas Aboott. Extinguiam-se as origens etimologicas daquela pequena entrada. Nem mais o saudoso "Graxaim" nem mais o beco. Ate hoje a travessa Germano Lobato e conhecida como ......ali onde era o "Beco do Graxaim".

Atual Travessa Germano Lobato, antigo "Beco do Graxaim". (Foto: Valandro Ferreira) 

Um comentário:

  1. ALEXANDRE VIEDO RODRIGUES.
    RELATOS BRILHANTES QUE NOS FAZEM FLORECER O AMOR POR ESTA TERRA TUA QUERIDA. PARABÊNS PELA HISTÓRIA, EU QUE EM 1996 DEIXEI SÃO GABRIEL PARA MORAR EM SANTA CATARINA, MANTENHO COMO HÁBITO DE 02 VEZES AO ANO VISITAR MEUS PAIS RENATO ÁVILA RODRIGUES E CONCEIÇÃO VIEDO RODRIGUES E IRMÃOS LÉA, PEDRO RENATO E LIARA. ABRAÇO A TODOS.

    ResponderExcluir