segunda-feira, 23 de junho de 2014

Trovador Macedinho

Atualmente com 52 anos de idade, José Macedo, o “Macedinho”, cantor, trovador, gaiteiro e compositor, é filho de São Gabriel. Seu cartão de visita no mundo da trova foi em 1992, quando se tornou "Campeão Invicto do Rio Grande do Sul", pela RBS TV no programa “Galpão Crioulo”. Ali nascia o maior fenômeno atual de trova gaúcha.

Um verdadeiro garimpeiro de títulos, foi nove vezes campeão de trovas do “Mi Maior de Gavetão”, em Sapucaia do Sul, maior festival de trovas da América Latina. Campeão várias vezes do “Desafio de Cacequi”, Campeão dos Campeões, do “3º Garimpo de Versos da Terra de Vila Rica”, em Júlio de Castilhos e Penta Campeão de Trovas do “Rodeio Internacional de Vacaria”, tornando-se o maior ganhador. Possui em sua galeria mais de 200 troféus de 1º lugar.

Paralelamente a trova, "Macedinho" conduz sua carreira artística como cantor e repentista. Já levou a arte do sul do País a Europa, cantando no “Festival Internacional de Portugal”. Representou o Rio Grande do Sul em 16 Estados do Brasil.

Possui em sua discografia nove CDs lançados. Mais maduro em sua arte, "Macedinho", compõe letras e músicas sobre os mais variados temas. Sempre com a responsabilidade de representar da melhor forma a cultura do Sul do Brasil.

Chama a atenção que o mercado da música gaúcha – cada vez mais precário em letristas e poetas – não tenha dado o devido valor ao talento de "Macedinho" e seus versos sem emendas mal-sucedidas.

Misturando a trova clássica com certa dose de cultura, ele mostra a que veio quando se defronta com o palco. Diante da platéia, os versos viram sua coroa; o tablado, seu castelo. E então "Macedinho" entoa improvisos sobre Teixeirinha, Valdomiro Mello e, acreditem, até sobre a Princesa Isabel. Seu talento desconcerta a concorrência.

"Macedinho" conta como seu talento musical surgiu. Quando criança, ajudava o pai nas entregas de mercadorias pelo interior de São Gabriel. Certa feita, quando contava seis anos, de idade ficou esperando o pai negociar com o dono de um grande armazém da cidade quando, de repente, ouviu – pela primeira vez – o som de uma vitrola.

No prato do aparelho, a música “Esta noite nos separa”, cantada por Teixeirinha e Mary Terezinha. Aquilo nunca mais saiu da sua retina. Ele, do lado da carroça ouvindo aquele som, uma coisa que nunca tinha visto.

O ano passado "Macedinho" gravou o CD “Rastro da História”, com as seguintes músicas: “Rastro da história”; "Bochincheiro e mal domado”; “Rei negro”; “Rancho dos aporreados”; “Campereadas”; “O amor é lindo”; “Destravando a língua”; “Na ponta dos dedos”; “Não sei se é pau ou toco”; “Vaneira baguala”; “Canto de partida para o Haiti”; “Lembrança do velho pai”; “Mais vale um gosto” e “Mais um coração de luto”. (Fontes: Blog “Memórias do Chico” e Blog “Música Tradicionalista”)

Trovador José Macedo, o "Macedinho"). (Foto: Blog "Memórias do Chico")

Nenhum comentário:

Postar um comentário